Papa Francisco Consagra Dom Sergio Cardeal do Brasil na Basílica de São Pedro – 26/11/2016

Ir. Núbia Maria da Silva
Foto: Ir. Núbia Maria da Silva

Na cerimônia de ajoelhar-se diante do pontífice para receber o “barrete púrpura”, símbolo da dignidade do cardinalato de comprometer-se até o martírio e de receber o anel, sinal do compromisso do cardeal com a Igreja “até que a morte os separe”, junto com a bula de nomeação, em consistório, celebrada na manhã do sábado (19/11), na basílica São Pedro, em Roma, o Arcebispo de Brasília-DF e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Sergio da Rocha é consagrado pelo papa Francisco como “príncipe da Igreja” como marco histórico na vida da Igreja do Brasil.

A nomeação do escolhido pelo papa Francisco para fazer parte do Colégio Cardinalício terá, sem dúvida, uma importância social, política, cultural de grande contribuição para a Igreja Universal, além de representar a profunda sintonia do novo cardeal com as reflexões do pontífice. Isso revela a significativa ação pastoral de dom Sérgio para contribuir nas relações de respeito às diferenças em comunhão com a Igreja em saída.

4
Foto: Ir. Núbia Maria da Silva

A correspondente da Radio France Internacional (FRI), Gina de Azevedo Marques, que acompanha os acontecimentos da Igreja Católica em Roma, diz que o novo cardeal, é uma esperança para o país. Terá um importante papel por ser um elo entre o diálogo e a tolerância para obter-se a paz necessária no contexto político e econômico, hoje tão difícil entre opositores e favoráveis a políticos no país.

“Dom Sérgio é o homem que consegue conduzir suas ovelhas no diálogo e na convivência fraterna do calor humano com a força irradiante do amor ao Evangelho” reconhece o cardeal emérito de São Paulo dom Cláudio Hummes. Ele afirma ser dom Sergio um bispo zeloso. “Um santo pastor do povo de Deus. Isso mostrou quando trabalhava como bispo no Nordeste. Homem empenhado em conduzir bem suas ovelhas, sobretudo as mais fragilizadas”.

As afirmativas apresentadas pelo cardeal Hummes sobre dom Sergio: “um homem seguro, inteligente, simples, aberto que, com seriedade, dedica-se aos grandes problemas sociais do Brasil” só reforça o aspecto do mais novo “príncipe” do sucessor de Pedro, como o homem da paz, da ternura e do vigor. “Ficamos felizes que o papa Francisco o tenha escolhido para o Colégio dos Cardeais. Representará bem a Igreja por muitos anos com a simplicidade de coração que lhe é própria”, declara o cardeal.

Foto: Ir. Núbia Maria da Silva
Foto: Ir. Núbia Maria da Silva

Já para dom João Braz de Aviz, prefeito da Sagrada Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, dom Sergio é um homem que se abriu totalmente ao trabalho pastoral no meio do povo. A figura dele é de esperança para a Igreja. A escolha do Papa Francisco simplesmente determina o perfil de bispo que deseja trabalhar pela reforma da Igreja. “E a reforma vai em direção de um caminho da sinodalidade, do caminhar junto. Isso dom Sergio sabe fazer muito bem”, declara o prefeito da Santa Sé.

Foto: Ir. Núbia Maria da Silva
Ir. Núbia Maria da Silva

Após a cerimônia do consistório, dom Sergio recebeu milhares de cumprimentos das autoridades civis, das lideranças religiosas e eclesiásticas de diversas partes do mundo, no Salão de Audiência Paulo VI, no Vaticano. E de regresso ao Brasil, o cardeal Sergio da Rocha celebrou domingo (27/11), às 8h30min, a Missa em Ação de Graças pela sua nomeação, na Catedral Metropolitana de Brasília-DF, como único no Brasil entre os 17 bispos escolhidos pelo Papa Francisco, no Mundo, para fazer parte do Colégio Cardinalício.

Por Ir. Núbia Maria da Silva