Pronunciamentos

“Mas, se pensamos a pessoa sem trabalho, dizemos algo parcial, incompleto, porque a pessoa se realiza em plenitude quando se torna trabalhador, trabalhadora; porque o indivíduo se faz pessoa quando se abre aos outros, à vida social, quando floresce no trabalho. A pessoa floresce no trabalho. O trabalho é a forma mais comum de cooperação que a humanidade gerou na sua história. ”

Papa Francisco

Confira aqui a nota: Nota CJP_Greve Geral 30 de junho

logo-cjpdf“O amor(…) é também cívico e politico, manifestando-se em todas as ações que procuram construir um mundo melhor”…

                                                              Papa Francisco in Laudato Sí

Em sintonia com o Evangelho, com as lutas da classe trabalhadora brasileira, dos povos indígenas, e demais movimentos sociais, bem como da Igreja do Brasil, representada pela CNBB, a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília afirma seu total apoio à Greve Geral do dia 28 de abril de 2017. Lutamos por Justiça e dignidade para todos e todas.leia mais   clique aqui

Descaminhos da política: a encruzilhada da Câmara Legislativa do DF

cldf1

Brasília (DF), 27 de setembro de 2016.

Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 8,32)

Aos Padres, aos Diáconos, às Religiosas e Religiosas, ao Laicato, Movimentos e Pastorais da Arquidiocese de Brasília, cristãos e povo de boa vontade,

A grave situação nacional não pode desviar nossa atenção do que está acontecendo na Câmara Legislativa do DF. Marcada pela eleição de deputados em 2014 que na sua maioria representam, com exceções, os setores mais abastados da Capital da República, deixando o serviço à dignidade dos pobres sem resposta de políticas públicas.leia mais   clique aqui

A Comissão Justiça e Paz de Brasília, no âmbito de suas atribuições, divulga nota sobre a intolerância religiosa e a violência contra os templos das religiões de matriz afro em Brasília:

COMISSÃO JUSTIÇA E PAZ DA ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA (CJP-DF)

Nota sobre a intolerância religiosa e sobre a violência contra templos das religiões de matriz africana na área metropolitana de Brasília

“Deus é amor” (1 João 4,8).

O ano de 2015 já tem uma marca: o grande número de ataques e manifestações de intolerância religiosa aos templos das religiões de matriz africana na área metropolitana de Brasília. São mais de uma dezena de casos que, além da violência, demonstram o desrespeito religioso e a ausência de políticas públicas por parte do Estado para garantir a liberdade religiosa em sua mais completa extensão.leia mais   clique aqui

A partir da parceria entre o Correio Braziliense e a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília, Rodrigo Rollemberg (PSB) e Jofran Frejat (PR) responderam, durante cinco dias, a assuntos de interesse do brasiliense, como mobilidade urbana e outros. Na avaliação de dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília, a Igreja Católica tem a missão de denunciar graves problemas sociais, como a corrupção. Ele lembra o papel da instituição para a aprovação da Lei da Ficha Limpa e o trabalho atual na reforma política. “A Igreja, pelo fato de não ter opção político-partidária, não se opõe à política nem a exclui; ao contrário, reconhece a importância e quer contribuir para a ética na política, oferecendo princípios éticos e critérios à luz do Evangelho”, aponta.
Dom Sergio diz lamentar que o papel da Igreja na sociedade nem sempre seja reconhecido. “Aceitamos o Estado laico, mas rejeitamos uma concepção laicista do Estado, que acaba não reconhecendo a contribuição da Igreja na sociedade, ou pior, que tende a excluir a religião da vida pública, confinando-a à esfera privada, como se a Igreja não fosse socialmente relevante.”leia mais   clique aqui