Documentos

“Mas, se pensamos a pessoa sem trabalho, dizemos algo parcial, incompleto, porque a pessoa se realiza em plenitude quando se torna trabalhador, trabalhadora; porque o indivíduo se faz pessoa quando se abre aos outros, à vida social, quando floresce no trabalho. A pessoa floresce no trabalho. O trabalho é a forma mais comum de cooperação que a humanidade gerou na sua história. ”

Papa Francisco

Confira aqui a nota: Nota CJP_Greve Geral 30 de junho

logo-cjpdf“O amor(…) é também cívico e politico, manifestando-se em todas as ações que procuram construir um mundo melhor”…

                                                              Papa Francisco in Laudato Sí

Em sintonia com o Evangelho, com as lutas da classe trabalhadora brasileira, dos povos indígenas, e demais movimentos sociais, bem como da Igreja do Brasil, representada pela CNBB, a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de Brasília afirma seu total apoio à Greve Geral do dia 28 de abril de 2017. Lutamos por Justiça e dignidade para todos e todas.leia mais   clique aqui

Correio Braziliense, edição de 14/4/2017

Opinião, pág. 11

20 anos da morte de Galdino Pataxó:

símbolo para tempos de intolerância

José Geraldo de Sousa Junior
          Membro da Comissão Justiça e Paz de Brasília

          José Márcio de Moura Silva
          Presidente da Comissão Justiça e Paz de Brasília

Em 19 de abril deste ano, o calendário simbólico brasileiro registra 20 anos da morte de Galdino Jesus dos Santos, o Galdino Pataxó. Natural da Bahia (1952), ele foi assassinado em Brasília, em 20 de abril de 1997. Da etnia pataxó-hã-hã-hãe, estava em Brasília por ocasião das comemorações do Dia do Índio, em 1997, e, com outras sete lideranças indígenas, levava suas reivindicações acerca da recuperação da Terra Indígena Caramuru-Paraguaçu, em conflito fundiário com fazendeiros da região (sul da Bahia). Depois de ter participado de reuniões com o então presidente Fernando Henrique Cardoso e com outras autoridades, com representantes de movimentos sociais de luta pela terra, entre eles o MST, por ser já muito tarde, não pôde entrar na pensão onde estava hospedado e resolveu dormir num abrigo de ponto de ônibus na avenida W3, Quadra 704 Sul.leia mais   clique aqui

Descaminhos da política: a encruzilhada da Câmara Legislativa do DF

cldf1

Brasília (DF), 27 de setembro de 2016.

Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (João 8,32)

Aos Padres, aos Diáconos, às Religiosas e Religiosas, ao Laicato, Movimentos e Pastorais da Arquidiocese de Brasília, cristãos e povo de boa vontade,

A grave situação nacional não pode desviar nossa atenção do que está acontecendo na Câmara Legislativa do DF. Marcada pela eleição de deputados em 2014 que na sua maioria representam, com exceções, os setores mais abastados da Capital da República, deixando o serviço à dignidade dos pobres sem resposta de políticas públicas.leia mais   clique aqui

Saneamento Básico:

Pobreza, Saúde e Meio Ambiente

Antonio Rocha Magalhães

CGEE – Centro de Gestão e Estudos Estratégicos. Ex-membro da CJP de Brasilia.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica, de 2016, elegeu como tema a questão do Saneamento Básico. A escolha foi muito feliz, porque há poucos temas mais importantes para a vida humana do que o saneamento. Tanto do ponto de vista do mundo inteiro, de acordo com dados das Nações Unidas e do Banco Mundial, como no caso do Brasil especificamente ou de cada local, a questão do saneamento se sobressai como algo que se liga estreitamente à questão da pobreza, da saúde e do bem-estar das populações. A ligação com a pobreza é muito direta: os piores indicadores de saneamento básico – acesso à água potável, esgotamento sanitário e disposição de lixo – se encontram nas regiões e países mais pobres no Planeta. No Brasil, os piores indicadores estão nas regiões Nordeste e Norte e, especialmente, nas periferias pobres das cidades e nas zonas rurais.leia mais   clique aqui